._. Log in ._.

Paracetamol na gravidez aumenta risco de atraso de linguagem

gravidez-20130207-original3

Paracetamol na gravidez aumenta risco de atraso de linguagem

Meninas cujas mães utilizaram paracetamol durante a gravidez apresentam maior risco de ter um diagnóstico de atraso de linguagem aos dois anos de idade. É o que mostra um novo estudo publicado nesta quarta-feira na revista European Psychiatry.

Para o levantamento, os pesquisadores entrevistaram 754 mulheres entre a oitava e a 13ª semana de gestação. Elas responderam perguntas sobre a frequência com que usavam o paracetamol, um remédio vendido sem receita, comumente utilizado para amenizar a dor e febre, na gravidez. Elas também forneceram amostras de urina, que foram analisadas para a concentração de paracetamol.

Os cientistas então compararam a frequência do uso do medicamento pelas mulheres com as pontuações de um teste capaz de medir o desenvolvimento de linguagem de seus filhos quando tinham 30 meses. As crianças que falavam menos de 50 palavras nessa idade foram consideradas com atraso.

O uso de paracetamol durante o início da gravidez foi comum: 59% das mulheres recorreram ao remédio pelo menos uma vez no primeiro trimestre e algumas relataram tomar até 100 comprimidos no mesmo período. As voluntárias foram divididas em dois grupos: as que tomaram paracetamol mais de seis vezes desde que ficaram grávidas e as que nunca tomaram.

Sem comentários ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *